Logo Veteran Car Joinville
placa preta
banner veteran

1400 Km de aventuras em dois tempos     
Como sempre, se não fossem os meus amigos de Joinville...
O Edison me viu e fêz companhia andando pela feira, foi muito bom!!!
Na quinta-feira tirei meu DKW Fissore 1967 Dourado do estofador que havia posto novo carpet e mantas isolantes no capô, debaixo do carpet e no cofre do motor, pois ele estava muito ruidoso ( o carro, não o motor ).
Sexta-feira vim trabalhar e tive reunião até às onze da manhã. Quando saí finalmente caiu o dilúvio e eis que não ligaram o limpador. Dirigi 40 km sem limpador e parei num eletricista de beira de estrada que fêz gambiarras pra funcionar, pois tinham tirado o soquete que acopla no motor do limpador. Well, saí pra estrada ao meio-dia!!!
O motor (que estava com 180km rodados) está cada vez mais forte e soltinho e chegando em S. Paulo, estava a uns 120 km/h, ouvi um estouro lá atrás, mas não desgovernou nem nada... parei pra ver, aquela maldita banda branca dos pneus, estourou e pegou no para-lama traseiro.
Acho que queimou a pintura, mas não amassou.... daí pra frente, a roda estava desbalanceada, mas....
Toquei até às 19:00 horas e cheguei em Mogi Mirim, na casa dos amigos. Foram 680 tranquilômetros. 12,7 km/l na primeira enchida...
Dia seguinte, acordei e fui pra Lindóia, cheguei às 9:00 da manhã. Não me deixaram participar do show, estava p., um pessoal daí do Veteram viu como eu estava. Fui atrás do organizador do evento e disse que pra mim a nota era zero!!! Trazer carro de Curitiba, não havia nenhum no show e não poderia entrar pois não estava lá desde 4ª feira!!! que os
prêmios já tinham sido dados!!! oras, não fui atrás de prêmio, isto não me interessa!!! achei o organizador e depois de meter a boca, ele autorizou minha entrada por um dia, por 50,00 reais, sem direito a nada! Que simpáticos!!!
A moça da secretaria ficou com pena e me deu camiseta e boné por de baixo do pano.
Bom, o carro estava na rua e fui manobrar pra entrar, tive que subir um ladeirão e eis que estoura a cruzeta direita, na subida. Tranquei a rua por 3 horas... Já era meio-dia, achei uma cruzeta emprestada do presidente do clube de S.P e fui numa auto-escola pedir telefone de mecânico pra trocar na rua mesmo, pois o guincho que havia chamado há três horas atrás nem deu sinal de vida... o mecânico veio, trouxe macaco jacaré, expliquei como trocar a cruzeta, comprei graxa no posto, pano de chão na loja de 1,99 pra limpar a caganeira de graxa pois tinha lubrificado antes de viajar...
Funcionou, yess!!! 100,00 de mão de obra por 40 minutos, é mole???
Quando abri o capô pra eles, vi a mangueira de cobre do radiador pendurada, caindo e suporte do alternador solto, p., o que mais?
Fui pro show finalmente a 13:30. O maior sucesso, pois era o único, todo mundo queria ver, ouvir, fotografar.
De noite fui embora, cheguei em Mogi com pneu furado ....
Dormi, acordei no dia seguinte, chuva!!!! Dirigi 500 km com chuva, mas chegando em S. Paulo, furou outro pneu... como pode? pregos duas vezes? A estrada estava em obras, talvez por isto...
Bom, foi só, valeu, não irei novamente, pois nossos encontros têm gente mais simpática e carros até mais raros do que os de lá...

Abraços,
Kurt Stern