Logo Veteran Car Joinville
placa preta
banner veteran

Joinville tem 5º melhor motorista do Brasil     
Gerente de distribuidora de material odontológico e sócio-fundador do Veteran Car, Gilmar Gonçalves é premiado em concurso da revista "4 Rodas". (HILDY VIEIRA - Repórter do AN Cidade)

Joinville tem o quinto melhor motorista do Brasil. O ás do volante é Gilmar Gonçalves, gerente de uma distribuidora de material odontológico, classificado entre 44 concorrentes no concurso Melhor Motorista do Brasil-1996, promovido pela revista "4 Rodas" (editora Abril). O concurso, que aconteceu no Autódromo Internacional de Interlagos, em São Paulo, nos dias 5 e 6 de outubro, rendeu um automóvel Fiat aos três primeiros colocados. Os participantes foram selecionados entre 15.500 candidatos que responderam a um questionário com 10 perguntas sobre mecânica, segurança no trânsito, direção defensiva e primeiros socorros publicado nas edições de maio e junho da "4 Rodas".
Os motoristas passaram por uma série de testes de pilotagem e conhecimentos teóricos. O teste escrito - questionário com 50 perguntas sobre cada um dos assuntos mencionados acima - aconteceu no salão de convenções do Othon Palace Hotel, em São Paulo, monitorado por técnicos da comissão organizadora do torneio. O test drive (teste de direção e pilotagem) foi realizado no Autódromo de Interlagos (SP).
Gilmar conta que perdeu a terceira posição por um golpe de sorte do paulista Massuo Yano. Yano conseguiu um bônus de nove segundos ao "chutar" e acertar os dois defeitos existentes no veículo - prova de mecânica - em menos de um minuto.
O motorista de Joinville fez bonito na pista de Interlagos. Conseguiu o terceiro melhor tempo nos testes de baliza, e identificação de defeitos mecânicos. Na parte teórica, ficou apenas um ponto abaixo do primeiro colocado, acertando 43 das 50 questões. Segundo Gilmar, o concurso incentiva melhor aprimoramento do motorista. "É um desafio aos conhecimentos práticos e teóricos que a gente tem sobre como conduzir um automóvel. A maioria dos motoristas sabe muito pouco ou quase nada em termos de legislação e segurança no trânsito. Isto torna as ruas e estradas brasileiras extremamente inseguras e perigosas", opina.
Gilmar conta que fez alguns treinos para se familiarizar com o carro que seria usado nos testes. "O pessoal da Fivesa Veículos emprestou um Palio para que eu pudesse treinar e um mecânico me passou dicas sobre a mecânica do carro. A Polícia Rodoviária Federal, a Polícia Militar e amigos deram o maior apoio. Aproveito para agradecer a todos eles", menciona. Cada um dos três primeiros colocados no concurso foi premiado com um automóvel Fiat zero quilômetro. Os classificados até o 5º lugar receberam troféu, certificados e brindes.

DE PAI PARA FILHO

O motorista premiado pede ajuda para o filho, outro aficcionado, para lavar carros antigos de sua coleção.

Paixão pelos carros vem da infância

Mineiro de nascimento, mas joinvilense da alma e coração, como costuma se identificar, Gilmar Gonçalves, 40 anos, é ligado ao mundo das quatro rodas desde criança. Natural de Alto Jequitibá, cidadezinha típica do interior das Minas Gerais, localizada ao sopé do Parque Nacional do Caparaó, aprendeu a dirigir aos 7 anos de idade com o pai, o joinvilense João Joaquim Gonçalves, num Ford Mercury. Na época, como era muito pequeno para dirigir na cidade, costumava ir para a propriedade de um tio onde passava o dia manobrando tratores e pequenos caminhões. "Vivia sujo de óleo e graxa. O difícil era limpar ele e as roupas depois, estavam sempre cheirando a gasolina", lembra a irmã mais velha, Gilcéia Gonçalves Vieira.
O pessoal da cidade se impressionava com a paixão que o caçula do "seu" João Gonçalves tinha por carros. Gilmar se recorda que um dia o pai o pegou desmontando o carburador de um Mercury. Esperou pra ver se conseguia montar novamente. Não só montou, como colocou funcionado. "Precisou apenas de alguns ajustes na marcha lenta", menciona. Foi com "o velho", um técnico em eletônica, que aprendeu suas primeiras noções de mecânica. Aos 14 anos comprou seu primeiro automóvel, um Gordine 1963. Naquele tempo já trabalhava na oficina mecânica de um primo, Antônio Carlos.
Durante dois anos percorreu muita estrada junto com esse companheiro, uma espécie de irmão mais velho, na boléia de um caminhão. "Sempre tinha alguma coisa de carro metida em tudo que fazia. Alguns amigos brincavam, dizendo que era movido a gasolina e batatas fritas - seu prato predileto. Era muito namorador, mas as meninas tinham que disputar sua atenção com os carros", conta Gilcéia.
Mais tarde, deixou Minas Gerais e foi para o Sul do País (Paraná) onde começou a trabalhar como representante da Sharp do Brasil e depois da Dental Gaúcho Marquardt & Cia - onde está até hoje, gerenciando a filial de Joinville. Em todos esses anos, nunca deixou de lado a mecânica e os carros.
Esse velho romance é sua melhor distração ainda hoje. Mencionar qualquer assunto relacionado a automóveis representa oportunidade para horas e horas de bom papo, preferencialmente regado a cerveja. É um dos sócios-fundadores do Veteran Car Club de Joinville, composto por aficcionados e colecionadores de carros antigos. O 5º Melhor Motorista do Brasil é conhecido pelos companheiros do lcube, como "Gima Cupim", corruptela de um antigo produto para exterminar cupins, Jimo Cupim. O apelido foi dado por um dos membros do Veteran, o advogado Flávio Araújo, para diferenciá-lo de outro parceiro homônimo na entidade. (HV).

Matéria publicada no Jornal A Notícia (ANCidade)
sexta-feira 18 de outubro de 1996