Logo Veteran Car Joinville
placa preta
banner veteran

Plastimodelismo levado a sério     
Normalmente, colecionar miniaturas na infância é o primeiro passo para alguém ingressar no maravilhoso mundo do plastimodelismo. Mais que simples colecionador, o plastimodelista chega a ser artesão, caprichando na pintura e na montagem de suas peças. Esse esmero pode ser conferido na coleção de Rodrigo Otávio Nicolazzi, composta na maioria por aviões da 2a guerra e um bom acervo de bólidos da Fórmula 1.
“Montar as peças é uma terapia inigualável. Ver um diorama pronto é motivo de grande satisfação e alegria”, garante Rodrigo, mostrando uma montagem que reproduz um
encontro de soldados americanos e ingleses, enquanto militares alemães cuidam de seus feridos escondidos nas ruínas. A riqueza de detalhes do diorama chega a extremos: até o arame farpado foi o próprio Rodrigo que bolou, com sucata.
Nascido em Canoinhas há 44 anos, Rodrigo ainda era guri quando veio morar em Joinville, por conta da ocupação do pai, engenheiro do Departamento de Estradas de Rodagem (atual Deinfra). “Como meu pai era engenheiro residente, moramos um bom tempo na própria sede do DER, na esquina da Ministro Calógeras com a Getúlio Vargas, onde hoje é o comando da PM.”
Rodrigo formou-se em direito pela ACE, casou-se com uma joinvilense e é pai de Bruno, 10 anos, provável continuador do hobby. Já foi bancário e hoje trabalha na administradora de condomínios Souza Lima, no Iririú.
A coleção de miniaturas teve uma primeira fase, iniciada aos dez anos, interrompida por outros interesses da adolescência. “Claro que hoje me arrependo terrivelmente de
não ter preservado as miniaturas do tempo de criança. Mas sabe como é, né? Num certo período da vida, os olhos do jovem se voltam para outros objetivos”, justifica.
De qualquer forma, a paixão ficou latente. “Depois de casado, voltei às miniaturas, aí com mais ímpeto ainda.
Hoje, é uma verdadeira febre”, admite Rodrigo, irrequieto em seu escritório, pegando um avião da FAB aqui, um jato da Varig ali, uma réplica da Lotus de Ayrton Senna mais adiante, um soldado alemão, um tanque israelense...

Roberto Szabunia
Especial para o Notícias do Dia - 06/05/2010