Logo Veteran Car Joinville
placa preta
banner veteran

Passeio a Irineópolis      
 
Encontro de Veículos Antigos em comemoração ao aniversário da cidade
49 anos (23/07/11)
Fotos: Romeu Bublitz e família
            Carlos Tito
 

      Um passeio ou um test drive?
Irineópolis, 23 de julho de 2011. Este foi o nosso objetivo. Aniversário da cidade 49 anos.  Nosso presidente Gilmar Gonçalves, amigo de todos, conseguiu levar 41 veículos do clube e mais 44 veículos de cidades vizinhas, como: Porto União, União da Vitória, Canoinhas, Mafra, Rio Negro e outras mais, uma verdadeira surpresa para todos da região que queriam saber como foi conseguida esta façanha. Principalmente o prefeito Waldemar Lezan e seus parceiros que não conseguiam entender o que levou a tão concorrida adesão.
      Gilmar, você conseguiu envolver, empolgar o Veteran Car Clube de Joinville, nesta empreitada, inclusive, coisa considerada fenomenal, a participação da Polícia Rodoviária Federal com os batedores em suas especialíssimas motos Harley que deram o brilho e a tranquilidade no comboio que foi muito grande.
      Lógico que, como tudo que ultrapassa as expectativas, houveram situações inusitadas no decurso destes dois dias, como as acomodações do Tito, Celso, e o... Eduardo. Imagine sardinha em lata. Estava lá a situação, e ainda vivas com roncos e outras coisitas mais. Isto é o verdadeiro companheirismo irmão e o Romeu querendo e conseguindo trazer todos juntos e fazendo aquela viravolta para acomodar a todos. Olha ele foi um herói por conseguir apaziguar os ânimos.
      Falando em ânimos, brilhou a presidenta Léia, acertando os ponteiros para que tudo ficasse na mais perfeita harmonia. E por falar em harmonia, o que foi aquilo que aconteceu?  Um padre dando o ar de sua graça e distribuindo graças aos presentes com sua habilidade musical e verbo muito fluente e engraçado. Padre Sérgio nos encantou! Deixamos de ir à missa e a benção de São Cristóvão por falta de tempo, mas nos nossos corações jamais  esqueceremos dos momentos maravilhosos que tivemos juntos. 
      E para enriquecer mais nossas memórias visitamos a casa da família Domit, histórica e tombada, um museu representando a pujança política e econômica do tempo do Contestado, bem como a representação social da região, valeu a pena parar para ver. 
      E aí companheiros, viagem já atrasada, almoço marcado em Rio Negrinho, vamos lá, pé na tábua. E vai que mais uma Mercedes quebrou. A primeira na ida, a segunda nem chegou em Mafra. Meio da estrada, longe de tudo. Parou o comboio, mais uma vez, e vai atraso, e... que fome.
No entanto o que valeu foi o calor do companheirismo, retratato em sei lá quantas cabeças enfiadas dentro do capô do carro opinando, ajeitando, botando conhecimentos mecânicos à prova, numa Mercedes, que... não é fácil.
      Que calor de amigos e companheiros, uns preocupados , outros buscando brincadeiras e piadinhas para baixar a poeira do dissabor. 
      Mas enfim com tanto vai e vem o carrão funcionou e para alegria de todos pé na tábua correndo, correndo, até o... enfim... almoço!  
      E toca viagem para frente até chegarmos a Joinville e aí gente, aquela gaitada que é descarregar a cegonha que foi passear com nossos carros até Irineópolis.
      Tchau companheiros, valeu a pena, apesar de alguns pormenores e entreveros. Da próxima vez poderá ser melhor (ou pior), no entanto o espírito companheiro será sempre a dose do bom, do certo e do calor fraterno e humano do Companheirismo Irmão.